Ensaio sobre a identidade docente

identidadePara desenvolvimento deste ensaio foi escolhido o filme “Sociedade dos Poetas Mortos”, lançado em 1989. A história se passa em uma escola tradicional de segundo grau, que aplica um ensino rígido como na academia militar e adota uma concepção didática conservadora. Este fato pode ser observado logo nas primeiras cenas com a palestra para os estudantes, na qual o diretor fala sobre os quatro pilares da escola: tradição, honra, disciplina e excelência. Ele ainda enfatiza que a escola recebe os filhos de pessoas economicamente bem-sucedidas e que almejam que seus descendentes sigam os mesmos passos que os pais, cujas profissões são médicos, engenheiros, advogados.

O filme relata a história de um professor chamado Keating que possui métodos de aprendizagem diferenciados da escola onde ele irá trabalhar, no qual foi ex-aluno. Ele adota um estilo divergente da escola tradicional, levando os alunos a uma nova forma de ver as coisas. Podemos analisar o posicionamento deste professor a partir dos apontamentos de Faria et al. (2008 p.56), que afirma que ‘a educação tem importante papel na formação humana, na constituição de um homem crítico e autônomo’. Reforçando essa argumentação podemos nos reportar à parte do filme no qual o professor, solicita a leitura da introdução do livro: “Entendendo a Poesia”. O texto diz que a poesia pode ser estudada e avaliada a partir de um gráfico matemático. Keating pede que os alunos arranquem as primeiras páginas do livro. Diz ele: “Poesia é para ser vivida e não calculada”. Ou sejam, buscava que os alunos não pensem como são mandados, mas que pensem por si mesmos, como dito por ele “Quando lêem, não considerem apenas o que o autor acha… Considerem o que vocês acham…”

Faz, assim, uma crítica à educação tradicional, onde o aprendizado acontece de forma mecânica: O professor fala, o aluno ouve. O discente não inclui suas experiências do dia-a-dia no processo de aprendizagem. Analisando o comportamento do professor sob a ótica do texto de Gonçalves (2005), podemos perceber que Keating faz uso dos saberes didático-pedagógicos; de intervenção social; e saberes relacionais, rompendo, assim, com o tradicional e mostrando um novo ideal pedagógico no qual a relação entre professor e aluno deve ter uma vivência democrática e interativa de forma espontânea, permitindo ao aluno poder extrair o melhor de si. Keating adotava uma postura pedagógica diferenciada, mais afetiva, mais flexível, entretanto, isso não foi suficiente para mudar a postura da instituição, considerando que ele foi demitido.

 

FARIAS, Isabel Maria Sabino et al. Identidade e fazer docente: aprendendo a ser e estar na profissão. In. Didática e docência: aprendendo a profissão. Fortaleza: Líber livro, 2008.

PINTO, M. G. C. S. A docência na educação superior – saberes e identidades. In: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, 28-4, 2005, Caxambu/MG. Anais eletrônicos da Reunião Anual da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação: 40 anos de Pós-Graduação em Educação no Brasil: produção do conhecimento, poderes e práticas. Caxambu/MG: ANPEd, 2005. Disponível em <http://www.anped.org.br/reunioes/28/inicio.htm&gt;

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s